Startup company – Jogo Steam – Sociedade dos Nerds
Veja nossas redes sociais

GAMES

Startup company – Jogo Steam

Conte aos amigos!

AAALOOU empreendedores deste meu Brasil! Apresento a vocês o jogo que pode te tornar o maior empresário do seu bairro, crie, mantenha as rédeas do seu negócio e seja esperto ao negociar contratos.

Se você jogou aquele jogo sobre vida de youtuber ou no nome original “Youtubers Life” criado em 2016 onde você está em seu quarto e precisa crescer seu canal, então você vai se identificar com este jogo que bem…. basicamente é a mesma coisa só que com sua empresa, tem algumas diferenças mas a mecânica é basicamente a mesma porque deu certo da primeira vez e eles querem ganhar ainda mais dinheiro empurrando um novo jogo com mecânicas parecidas.

Eu joguei e gostei, acho que me identifico mais com esse jogo por gostar dos desafios de criar uma empresa, então se você gosta deste tipo de coisa, acredito que o jogo vai te agradar mas se não curte esta mecânica específica, bem eu acredito que é melhor investir seu dinheiro em comida que não vai te decepcionar.

Daqui pra baixo estão todas as informações que você encontraria na página da Steam, particularmente eu dei Ctrl+v de lá pra você não precisar entrar na página do jogo, de nada! E no final tem uma gameplay do  jogo feito por um brasileiro em 2017, ou seja em uma versão com menos recursos mas ainda assim interessante.

Sobre o jogo

Startup Company é um jogo de simulação de negócio. Você é o CEO de uma empresa de software recém-fundada. Começando com uma conta bancária vazia, você deve completar contratos com clientes, mas assim que tiver dinheiro suficiente, você poderá competir com as maiores das empresas de tecnologia, fazendo seus próprios produtos e serviços.
Startup Company inclui:

* Modo Arquiteto: construa seu próprio escritório;
* Contratos de trabalho: consiga contratos com preço e serviço competitivos;
* Sistema de criação: faça integração de componentes para criar módulos. Use módulos para criar produtos;
* Produtos: construa produtos excepcionais adicionando recursos, gerenciando servidores e veiculando campanhas publicitárias.

Contratando

Uma grande empresa é construída por pessoas excepcionais. Aprimore os benefícios e as condições de trabalho de sua equipe para atrair os melhores colaboradores.

Ganhe contratos

Você poderá escolher entre centenas de contratos, mas nem todos serão adequados para o seu time. Comece com contratos simples e no final concorra com os melhores na indústria pelos melhores contratos!

Desenvolva, integre e repita

É isso mesmo, softwares precisam ser montados a partir de várias partes!
Não importa se está apenas terminando um contrato ou construindo seu próprio produto, você precisa de componentes e módulos. Use desenvolvedores, designers e líderes de projeto para criar o que você precisa.

Startup Company possui um sistema de criação/desenvolvimento repleto de recursos onde você poderá integrar componentes em módulos, servidores ou funcionalidades para produtos.

Lance, atualize e expanda seus produtos

Lançar produtos com sucesso é tudo sobre tomar as decisões certas. Implementar ou aprimorar as funcionalidades corretas é o que gera publicidade. Publicidade gera clientes e clientes geram dinheiro.
Você precisa estar sempre atento à sua publicidade. Caso contrário, os usuários se esquecerão do seu produto. Manter um produto em constante desenvolvimento e liberar novas versões é a chave para o sucesso.

É sua empresa, deixe sua imaginação correr solta!

Veja uma gameplay logo abaixo:


O jogo está em acesso antecipado mas você pode comprar e jogar desde agora, pois apesar do acesso antecipado ele já está muito jogável e muito provavelmente ele receba mais atualizações interessantes, além de ser um jogo barato e perfeito para presentear ou espere até uma promoção da Steam para comprá-lo praticamente de graça.

Advertisement
Clique aqui para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GAMES

Consoles RETRÔ e o Mercado da NOSTALGIA

Conte aos amigos!

Resumo do post pra quem não tá com paciência de ler tudo:

Consoles retrôs são tendência do mercado, no Brasil o preço é um absurdo, falo um pouco das minhas ideias de streaming de jogos retro de forma oficial e que é mais barato comprar um Raspberry PI que roda todos os retro console do que pagar 800 reais pra rodar uns 30 jogos no Snes Classic Edition.

——–>Fim do Resumo

Ahhh! Aquele sentimento da tela de entrada do Super Mario World sempre me faz bem, não pelos gráficos serem ótimos mas por me trazer o sentimento da criança que eu era quando eu inocentemente colocava o cartucho no Super Nintendo (“as vezes soprava pra funcionar”) e tinha que zerar ali na hora, porque minha fita não salvava por algum motivo. Minha única preocupação era não deixar meu pai pegar o Cinder no Killer Instinct porque esse boneco era roubado demais. Jogar Sunset Riders com meu primo até zerar mais uma vez de novo e de novo.

Crt Television With Connected Rca Cables

Eu sempre vejo isso se repetindo no mercado em geral, os sentimentos mais fortes das pessoas são raiva e alegria, exatamente nessa ordem, e é possível vender coisas utilizando gatilhos que te façam experimentar isso. A nostalgia faz parte das subcategorias da alegria, ela te faz relembrar sensações boas de uma época tão distante, em que você agora reconhece que era totalmente feliz, com suas despreocupações e só se importava em jogar o sábado inteiro se sua mãe não implicasse dizendo que o vídeo game iria estragar a TV.

A Nintendo  é mestre em vender coisas antigas com pequenas adaptações visuais que mexem exatamente com aquele sentimento de nostalgia. Pokémon é sucesso até hoje, Mario tem mais franquias do que qualquer um, foi de médico sem graduação em medicina até tenista profissional, tem vezes que salva umas princesas por aí, e ainda tem The Legend of Zelda que possui mais linhas temporais que o Flash Barry Allen chapado de energético voltando no tempo para tapar furo de roteiro.

the legend of zelda link GIF

Tudo bem, agora eu vou direto ao ponto e parar de enrolar, as empresas viram o mercado  lucrativo que a Nintendo já conhecia faz tempo, produzir consoles com hardware extremamente barato e com jogos lançados a décadas atrás dá dinheiro e muito recentemente a Sony “supostamente” entrou nessa também e está produzindo seu “Novo Antigo PlayStation 1 Classic Edition Sei Lá Das Quantas“, que como sempre é um console que não roda cd por causa do tamanho menor e tem seus jogos pré-gravados  selecionados a dedo, mas será que vale a pena comprar o novo antigo console da Sony que ainda nem lançou ou o SNES classic travado com apenas os jogos que a Nintendo quer?

Eu particularmente acho melhor encomendar praticamente a mesma coisa no Mercado Livre com Raspberry PI só que podendo rodar “TODOS” os jogos de PS1 que você encontra rom na net e além disso poder rodar outros consoles dentro dele tipo NES, GBA, SNES e N64.

Então meus amigos, muitas pessoas vão dizer que é melhor comprar o Oficial da Nintendo pelo ato de colecionar algo original, mas vamos falar sério, o hardware que roda dentro dos “Originais” não se diferencia muito das placas “Pau pra toda obra” mais conhecidas como Raspberry PI, uma plaquinha do tamanho de um cartão de crédito que tem 10 vezes mais poder de processamento que seu PC de 2008 que só rodava Habbo Hotel em slide de 5fps, e ainda tem software pronto e traduzido com todos os emuladores, basta pegar e plugar no HDMI da sua TV, pegar um controle USB ou bluetooth e jogar tranquilamente seu Castlevania: Symphony of the Night.

raspberry pi GIF

O “Super Nintendo” relançado pela Nintendo são basicamente isso, uma placa facilmente hackeável que tem jogos pré-gravados de SNES mas que se você for um(a) garoto(a) dos compiuters você consegue “destravar” e jogar outros jogos do mesmo console, eles são baratos nos Estados Unidos custando uns $80 dólares e em qualquer outro país que não seja o Brasil é barato também, mas no Brasil o console chega a custar em média 800 reais em “lojas oficiais”.  Eu vou repetir, 800 FUCKING REAIS, com uns 400 você pega uma réplica não oficial que roda SNES.

O meu ponto é o seguinte, essas empresas talvez ainda não enxergaram o que precisam, elas precisam pegar esses jogos e disponibilizar em uma biblioteca de assinantes como uma Netflix de jogos retrô por uma assinatura baixa. Talvez a Nintendo esteja caminhando para isso, ouvi rumores que ela está deixando alguns jogos antigos como Metroid serem jogados ao assinar o Pass deles pro Switch, o que é excelente.

Agora só falta a Sony enxergar que não só de exclusivos se vive o homem mas também dos clássicos de PS1 e PS2 que deveriam ter uma biblioteca online, eu aposto minha dignidade de que muitas pessoas assinariam pra jogar Tony Hawk quando ficarem entediados com Fortnite, ou aquele San Andreas só pra zuar.

Gta Appear GIF

Agora é a hora de eu mostrar como você pode ter seu próprio Console Retrô que realmente vale a pena, e você pode até escolher a aparência dele, se quiser um que parece o PS1 e que roda SNES com gosto de Tamarindo ou uma Carcaça de mini  N64 que roda SNES e PS1 com gosto de limão. Não fez sentido nenhum, mas quem pegou a referência pegou, quem não pegou não faz diferença na humanidade.

Vá ao Google e procure por Raspbery Pi + os consoles que você quer rodar, ou você tenta comprar um pronto, se quiser você pode compra uma case clássica de nintendinho ou de ps1 ou de qualquer outro separada ou junto, você que sabe. Segue link aew pra quem quiser economizar segundos LINK

 

Tava achando que eu ia te dar os links e facilitar sua vida? O mundo não é  um grande arco-íris não, é um lugar sujo é um lugar cruel que não quer saber o quanto você é durão, vai te botar de joelhos sem link e você não vai achar nada se não for procurar.

Esse post, pode virar uma série com mais informações de como montar seu retrô vídeo game especial, apesar de ter vários por aí, eu acho que sou melhor que os outros e vou fazer mesmo assim hahhahaha. Na real eu vou entrar em contato com os caras que entendem do assunto pra trazer esse conteúdo mais mastigado pra vocês, mas para isso você precisa compartilhar esse post ou deixar um comentário aqui ou na página do facebook pra eu saber que vocês realmente querem, enquanto isso eu vou ler muito sobre o assunto e virar PHD em Raspberry PI.

kids reading GIF by Cheezburger

Até a próxima e não esqueça de apertar no sininho do site para receber notificação quando lançarmos coisas novas, vejo vocês mais tarde no próximo post e até mais.

 

 

 

 

 

 

 

Continue lendo

GAMES

Gameplay – JOGO DO RAFFA MOREIRA – TRAPSTAR ADVENTURES (Danth Joga)

Conte aos amigos!

 

Danth é um parceiro do site Sociedade dos Nerds. Abaixo está a descrição do vídeo dele:

Acesse o Twitter do Danth

Pra quem quiser o Video do Guselect: https://youtu.be/OVNTFCttrO0.  Game desenvolvido pelo canal do Botão Select

Hey guys, Danth aqui! Espero que tenham gostado de mais um vídeo, se você é novo por aqui, seja bem vindo! Se curtiu, inscreva-se.

Se você quer baixar a música Bro Faz Sol – 8bit Remix https://soundcloud.com/chaachm/raffa-…

Thumbmaker: Gustavo Twitter: http://bit.ly/2P2HvZw YouTube: http://bit.ly/2wbsmyl

Continue lendo

GAMES

Dragon Quest XI está próximo!

Conte aos amigos!

 A outra série de RPG de mega-vendas da Square-Enix, Dragon Quest, está programada para lançar sua décima primeira edição na Europa ainda este ano.

  Originalmente lançado no Japão em 2017, demorou algum tempo para chegar a essas praias, e por uma boa razão: a Square-Enix fez alguns ajustes substanciais para o seu lançamento no Ocidente. Agora não entre em pânico, essa não é uma daquelas situações em que o conteúdo foi removido (como acontece com alguns dos títulos da Yakuza). Em vez disso, estamos recebendo uma série de melhorias.

  Primeiro, e de longe o mais impressionante, é que a versão ocidental terá dublagem para seus principais personagens e cenas. Os jogos do Dragon Quest têm a reputação de ter um excelente trabalho de voz, como o retrato rude de Ricky Grover de Yangus em Dragon Quest VIII. Eles trazem uma dimensão extra real ao já audacioso elenco de personagens. Não há dúvida de que houve alguma conversa sobre o Ocidente simplesmente não ter paciência para ler caixas de texto, mas essa é uma adição brilhante ao jogo.

  Tivemos a oportunidade de jogar duas áreas em um evento de pré-estreia recente: o início, que acontece na vila natal de Cobblestone; e através dos campos gramados até a capital de Heliodor, onde eles devem falar ao rei sobre o fato de que eles são a reencarnação de The Luminary, um herói lendário que salvou o mundo no passado.

 O mundo é maravilhoso para explorar. Esta é uma série que sempre evitou o realismo, focando-se na impressionante arte de anime, com personagens desenhados pelo criador de Dragon Ball, Akira Toriyama – ele realmente gosta de coisas com ‘Dragon’ no título, OK? É brilhante e colorido, com grande detalhe em todas as casas, lojas e ruas – grama verdejante chegando a quilômetros de distância, onde as regiões montanhosas que você pode sem dúvida viajar para mais tarde são emolduradas por um céu azul da Sega. Dá a ilusão de escala maciça e aventura sem fim.

  Após a chegada, há uma carga de sidequests que você começa a explorar as vielas e telhados de Heliodor, o poder extra do PS4, permitindo um ambiente de escala muito maior do que os títulos anteriores do Dragon Quest. Agora você pode correr para cobrir essa distância também – outra adição a esta versão ocidental, para que agora você possa viajar pela cidade e entre os vendedores de missões. Este é provavelmente outro comentário sobre a paciência dos jogadores ocidentais. Mais uma vez, é uma adição bem-vinda. Eventualmente, você visita o Rei, onde tudo começa e as aparentes 80 + horas de história do Dragon Quest XI realmente começam. Infelizmente, é também aí que termina a nossa demonstração da área de abertura.

  Nós somos então carregados em Gallopolis, um reino do deserto onde um jovem príncipe está pronto para passar sua cerimônia de maioridade, que exige que ele ganhe uma corrida de cavalos – o brilhantemente chamado ‘Sand National’, um sinal claro do excelente trabalho de localização. sendo feito para esta versão. É aqui que temos acesso a uma festa completa. Um bando de clichês tradicionais de RPG, eles podem ser – com Erik, o ladrão, Veronica, o mago negro, e Serena, a curandeira -, mas eles são um bando encantador. O mais charmoso, no entanto, é Sylvando, um artista de circo que você encontra na cidade que está destinado a se tornar um favorito dos fãs, se juntando à sua equipe logo após a corrida de cavalos.

  A corrida de cavalos em si é um minijogo bastante simples, não muito diferente da maioria dos outros eventos baseados em equinos nos jogos. Você pode estimular o cavalo, mas muito esgota sua resistência e o deixa trotar no ritmo de um caracol. O gerenciamento de medidores é fundamental, e a coleta de recargas de resistência permite que você continue correndo por um longo período. É muito simples, então, para garantir os melhores tempos, você precisa de uma linha perfeita através das recargas.

 

 É fácil soar como se você estivesse sendo depreciado ao descrever aspectos do Dragon Quest como ‘tradicionais’ ou ‘como outros jogos’. Tome o combate, por exemplo – enquanto todo jogo de Final Fantasy vive e morre na qualidade de qualquer novo estilo de combate que ele traz para a mesa, Dragon Quest concentra-se em fazer as batalhas básicas de JRPG extremamente bem. Tem mais em comum com o Final Fantasy original de 1987 do que qualquer um de seus colegas contemporâneos, mas as habilidades e feitiços que os membros do grupo aprendem dão corpo ao seu papel, e escolher o melhor grupo para o trabalho é fundamental para o sucesso nos encontros mais difíceis.

  Como nos jogos anteriores, um sistema de táticas permite que a IA assuma a maioria dos inimigos básicos enquanto você atravessa as planícies abertas. Você pode dizer a eles para lutarem de forma inteligente, imprudente ou assumirem o controle total deles, o que é útil quando se enfrenta os chefes do jogo. Tivemos a chance de enfrentar o Slayer of the Sands, um enorme animal maníaco / escorpião que exigia que todas as facetas das habilidades do time o derrubassem.

 E esses inimigos! Cada um, seja um novo design ou um clássico Dragon Quest mob, são maravilhosamente renderizados aqui no PS4. Cada um tem animações memoráveis, sejam elas atacando ou morrendo, que realmente fazem você querer ver o que o próximo faz, em vez de tentar evitar recados. Um destaque pessoal foi o retorno de Dragon Quest, o Cruelcumber, um pepino antropomórfico que acidentalmente lança sua lança para dentro de sua própria barriga quando você lhe dá o golpe final.

  Dragon Quest XI está parecendo mais uma boa entrada na série, e é ótimo ter um grande JRPG no horizonte. Ele está cheio do capricho usual do Dragon Quest, com motivos musicais e inimigos familiares dos jogos anteriores, ancorando o título na rica história da série, mas o poder do PS4 permite uma escala não possível anteriormente. Claro, já faz um tempo, mas o tempo extra no forno de localização parece ter valido a pena.

Continue lendo

Patrocinador

Relevantes

Todos os Direitos Reservados © 2018 Sociedade Dos Nerds
Todas as imagens de filmes, séries e etc são marcas registradas dos seus respectivos proprietários.

%d blogueiros gostam disto: